Mais Acessadas

Polícia investiga se post em rede social motivou massacre de família, na Argentina

Uma publicação em uma rede social pode ter motivado a morte de seis pessoas da mesma família, na localidade de Hurlingham, na Argentina. Segundo investigadores do caso, horas antes da tragédia, a policial Romina Maguna, de 36 anos, usou seu perfil no Facebook para postar uma declaração de amor ao ex-marido, morto há dez anos. Logo depois, ela teve a casa invadida pelo seu atual companheiro, Diego Loscalzo, de 35, que a matou a tiros. Ele ainda assassinou três cunhados e a sogra, além de ferir outra cunhada, que estava grávida e perdeu o bebê. O homem está preso. As informações são do jornal “El Clarín”.
“O filho (que estava na casa quando Romina foi morta) contou que Loscalzo questionou a mulher por essa mensagem no Facebook na qual recordava de seu ex-marido”, disse o chefe de polícia local à agência de notícias “Telám”.
Na publicação, Romina fez uma carta ao ex-companheiro. “Te amo e isso nunca vai mudar. Sempre viverá em mim”, escreveu em um trecho. Para a polícia, Loscalzo se sentiu enciumado com a publicação.
Em post, mulher falava do amor ao ex-marido morto
O massacre aconteceu poucas horas após a publicação da mensagem, no último domingo. Loscalzo e Romina viviam juntos, mas haviam brigado e estavam separados. Ele invadiu a casa da mulher e tomou a arma dela. Em seguida, atirou. O filho, que estava no local, pediu para que o pai não atirasse nele e foi poupado. O menino é filho do primeiro marido de Romina, mas considerava Loscalzo como pai.
O homem, então, fugiu e foi para a casa da sogra, onde fez as demais vítimas. A cunhada, que estava grávida, chegou a ser levada para um hospital, mas perdeu o bebê. A mulher segue internada.
Loscalzo foi preso na última segunda-feira durante uma operação policial. Ele segue detido, enquanto o caso permanece sendo investigado
fonte:jornal/extra