HOMEM É PRESO DEPOIS DE MATAR SUA MULHER COM FIO DE TV

Um homem foi preso após matar a companheira estrangulada com o fio da televisão. Carlos Henrique Melo da Silva, de 35 anos, foi encontrado por policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, no Viaduto Prefeito Negrão de Lima, em Madureira, na Zona Norte do Rio, nesta segunda-feira. O crime aconteceu na última sexta-feira e, desde então, Carlos Henrique não era mais visto. Ele e a vítima, Suzanne Henriques Nogueira, de 30 anos, estavam juntos há cerca de três anos e moravam na mesma casa desde novembro do ano passado.

Em depoimento, Carlos Henrique confessou parcialmente o crime, alegando não se lembrar do motivo pelo qual matou a mulher. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Luís Otávio Franco, o homem teria cometido o crime após Suzanne desconfiar de que ele teria passagens pela polícia.

— Na versão dele, ele admitiu o crime, mas disse que não sabe porque tudo aconteceu. Ele disse que teve um ‘apagão’ e que, quando acordou, viu que ela estava morta. Depois do crime, ele procurou pela ex-companheira, mãe do filho de 4 anos dele, e contou que ‘tinha feito uma besteira’. Em depoimento, ela disse que ele teria se irritado ao saber que a vítima tinha entregado os documentos dele para a mãe dela para checar se ele tinha passagens pela polícia — falou.

Suzanne foi morta pelo companheiro
Carlos Henrique tem, ao menos, sete passagens pela polícia. Em quatro delas, responde por homicídio. Em um deles, cometido em 2002, foi condenado por seis anos. Além desses crimes, contra ele constam denúncias por agressão e ameaça contra ex-companheiras e passagem por receptação.

— Ele tem uma longa lista de crimes contra mulheres. É perigoso — disse Luís Otávio.

O corpo da vítima foi encontrado pela irmã dela, em casa, em Belford Roxo. As duas haviam marcado de sair no sábado pela manhã. Como Suzanne não atendia ligações, a irmã dela resolveu ir até a residência e encontrou o corpo. Ainda segundo o delegado, em depoimento, Carlos Henrique não demonstrou nenhum arrependimento. A família da vítima, em depoimento, afirmou que os dois tinham um relacionamento conturbado.

— Ele foi frio e não demonstrou estar arrependido de nada. Segundo a família, o relacionamento deles era conturbado e a vítima já teria aparecido com roxos pelo corpo, mas teria tentado esconder dos familiares — disse.

Carlos Henrique responderá por feminicídio e pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.